Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Uma página em branco

Uma página em branco

24
Ago17

Pois...

Miss Winter

Ontem era quase as 23h toca o telefone é o meu ex (sabe que detesto que me liguem a essa hora, fico logo de coração nas mãos...)

 

A desculpar-se por ainda não ter podido ir buscar o menino tem andado nos incêndio sem descanso... pois...

 

O último dia que esteve com o filho foi domingo, fomos aos anos da avó, apareceu um pouco depois, confirmei que andava mesmo nos incêndios, mais uma vez de férias sem serem férias... dá-me vontade de lhe dizer que tire 1 dia ou 2 só para estar com o filho ele merece, eles merecem e eu aproveitava o meu silêncio...

Estive lá até às 21h... quase 3 horas, pelo meu filho, estava tão feliz a brincar com o primo e o pai... e deixei-me estar, se me faz bem... sei lá... acho que nos próximos dias ando sempre mais "abananada", nem bem nem mal.

 

E tu como estás? Cá estou... com vontade de lhe responder cansada, farta de verão, farta de incêndios, a precisar de umas horas de folga para bem do meu filho e para meu bem... um abraço teu... acho que na nossa cabeça fazemos perguntas e respondemos só em pensamento... há sempre imensas pausas, segundos de silêncio sem nada dizermos à espera que o outro fale. São sempre estranhos os nossos telefonemas... preferia uma simples mensagem ou nada, não precisa de se desculpar... ou será uma desculpa para falar comigo? Tem semanas que arranja sempre uma maneira de me telefonar... outras semanas fica em silêncio...

 

Eu nem te pergunto como estás... já não me aptece... podia ter sido tudo tão diferente mas não quiseste ou ambos não quisemos, não soubemos aproveitar a vida, não aproveitamos para namorar muito nos quase 8 anos sem o filho... mas a vida é assim um dia tudo cansa, tudo parte, tudo desaparece...

 

Achei piada, um post teu no face carta de uma esposa ao seu marido bombeiro e tu escreveste: SEM PALAVRAS.... UNICAMENTE LINDO...

 

Carta da esposa de um bombeiro

Olá marido:

Escrevo esta carta para que fique registado que estou a pensar em ti...

Sabes? Quando namorávamos já tu andavas nessa farda, que confesso, achava que te ficava lindamente. Eras o meu bombeiro. Quando avançámos na relação sempre dei valor a tudo o que fazias por mim e comecei a amar-te cada vez mais, tal como até agora cada vez te amo mais... Ao contrário de detestar cada vez mais o que fazes.

Aquilo que eu ao inicio achava engraçado, agora não acho mais, mas acompanho essa tua paixão porque nunca deixaste de me amar por isso, e nunca me faltaste... Mas sabes? Hoje em dia temos a nossa família e o nosso filho que te adora... Ele guarda o teu boné com ele, à espera que voltes, até já encontrou um desenho de uma ambulância para pintarem juntos, ele diz que é o carro do papá...

Não vou falar desta época dos incêndios, vou falar de tudo, porque tenho medo o ano todo, cada vez que sais de manhã com essa farda vestida que te fica lindamente, mas que detesto... Porque não se sabe como evolui um incêndio, mas também não se sabe quando numa cheia vem uma enxurrada (e tu não sabes nadar), não se sabe quando num acidente pode alguém não ver a placa que diz acidente, e que vocês põem tão criteriosamente, não se sabe quando aquele salvamento num 5° andar pode correr mal, não se sabe nada, porque durante 365 dias tu e qualquer bombeiro são-no 366 dias...

Vocês respiram isso e vivem isso de uma forma que são roubados de nós. Da família... Para mim o perigo é uma coisa, para ti o perigo é o teu nome do meio, que transforma o meu nome do meio, em medo...

O teu filho diz que quer ser como tu, espero que como homem o seja, mas que não siga os trilhos profissionais, nenhuma mãe o quer... Mas se seguir, espero que seja com os teus passos... E para isso peço que voltes agora e em todas as missões que cumpras, só a cumpres depois de voltares.

Porque o teu comandante não te põe de castigo, mas ponho eu!!! Porque sou eu que quando não te tenho cá, não tenho o meu pilar, aquele marido único que tudo divide comigo, as tarefas, os risos e os choros... Tu és pai, marido e homem... Portanto amo-te a ti e odeio o que fazes... Que fique claro... (adoro a tua farda, mas aquelas calças de ganga e a camisa negra também me seduziram) por isso promete que voltas agora, e no resto do ano...

O teu amor, a tua mulher...

Pedro Filipe Gomes Bandeira @Pedro ''Espia''
Bombeiro de 3ª nº 359
Bombeiros Voluntários de Paço de Arcos
Todos os direitos reservados

 

 

Sabes... era isto que sentia e tu nunca compreendeste, sempre me disseste que eu odiava a tua profissão... agora estranhei tu partilhares isto e escreveres o que escreveste. Ficava muito magoada quando me dizias isso, chorava ao ouvir isso... eu sei que nunca fiu tão boa em palavras como esta "esposa" agora já é tarde para perceberes aquilo que não percebeste em 14 anos e meio...

22 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D