Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Uma página em branco

Uma página em branco

21
Set17

2 anos sem ti

Miss Winter

Posso dizer que fiquei sem ti a 20 de Setembro, 3 dias após estarmos sentados numa mesa de um restaurante a festejar os 10 anos de casamento com o nosso filho (ambos estávamos a disfarçar uma comemoração que não existia, eu nem queria ir...). Não fiquei sem ti no dia que assinamos o divórcio, foi neste dia, ou 15 dias antes quando te apanhei aquela maldita mensagem, que nunca admitiste que era para a "outra" mesmo depois do divórcio, nunca admitiste que me traiste, quiseste ser angelical, quiseste mostrar a toda a gente que nunca te envolveste com ela, somente depois de saires de casa... quiseste mostrar que eu era a culpada, mas fizeste o favor de a trazer logo para cá mal assinamos os papéis e eu de má passei a anjo (só me faltou colocarem no altar).

 

Há muita coisa que me disseste que já nem me lembro, lembrar para quê? Apenas me lembro de dizeres que viveste 14 anos de fachada, que foi logo quando começamos a namorar. Ora como não fui eu a pedir-te para casar nem te obriguei, estiveste comigo porque quiseste, porque me amavas, sim amaste, ou será que ainda me amas e andaste a enganar-te a ti próprio?

 

Eu é que nunca te enganei (e não estou a falar de outra relação) eu fui sempre eu, posso admitir que exagerava em algumas situações mas sabes eu só queria mais um pouco de ti... sei que a vida que tive antes de ti reflectiu-se na pessoa que eu era, muito fechada, muito timida, não gostava de me socializar... mas tu conheceste-me assim, sabias como eu era e tu ajudaste-me mas parece que te cansaste, cansaste de tudo, cansaste de estares comigo, cansaste dos nossos passeios, cansaste das surpresas, cansaste dos nossos passeios, cansaste de me amar...

 

Hoje não sei quem és, não sei se me traiste só esta vez, porque houve mais situações mas sempre juravas que não era o que eu julgava, ajoelhavas-te a chorar e dizias que me amavas que não me querias perder.

 

Desta vez foi diferente, inventaste que era uma brincadeira com um colega, que lhe podia ligar... mas só para o outro dia para teres tempo de falar com ele.

 

Não fizeste juras de amor, não te ajoelhaste... nada, quantas vezes te perguntei o que significou o jantar dos 10 anos? Eu até te disse tinhas levado um bolo com a palavra divorcio e faziamos logo ali a festa de despedida...

 

Foste tu que perdeste... perdeste tudo... mas gostava de te ver melhor, gostava de te ver com coragem de saires de casa dos teus pais e arranjares um cantinho só teu, para estares tu e o teu filho. Ainda anteontem a minha tia disse que no fundo tem pena de ti, que olha para ti e vê que não estás bem, que ainda deves andar baralhado sem saber o que fazer... e eu só lhe respondi, que claro que no fundo tenho pena dele é o pai do meu filho, mas eu já fiz mais do que devia, ele é que não quis aproveitar...

 

Eu pensei que a "outra" te iria ensinar que afinal eu era uma grande mulher e que fizeste merda... mas mesmo assim não dás o braço a torcer, continuas a dizer que para dar certo eu tinha que mudar, que eu é que tive a culpa, é claro que a nossa conversa acabava mal, não és capaz de te emendar...

 

Arranjaste uma pessoa, sem escrupulos, que te enganou várias vezes, ciumenta doentia, mentirosa e vingativa. Até te obrigou a tirar as mulheres todas do face. Eu algum dia te falei das mulheres que adicionaste? Nunca.

 

Por fim quis destruir-te mas os agentes da autoridade não são assim tão burros. Sim ela acusou-o de violência doméstica... ficaste com a imagem manchada, houve muita gente que acreditou em ti mas havia quem acreditasse nela mesmo sabendo a porcaria que ela era. Foram revistar o teu quarto, tiraram-te as armas de caça, foi para o jornal (sem identificação claro), com termo de identidade e ela com sistema sos no caso de ele se aproximar. Foram vários meses de angústia, quando foi arquivado já tinham passado 2 meses quando terminamos a nossa suposta reconciliação.

 

Talvez isto foi o grande problema para que a nossa reconciliação falhasse redondamente, o passado estava entre nós... e depois foste tu que nada fizeste para mostrares que querias voltar... tinhas medo? Talvez... mas olha que eu mais medo tinha... podias considerar-te o homem mais sortudo a tua ex, aquela que traiste, que pisaste, aquela que lhe roubaste os sonhos todos, estava a dar-te uma segunda oportunidade... mas não estiveste à altura, hoje estou diferente, não ia deixar-te entrar de novo na minha vida a qualquer preço... mas tu pensavas que sim, bastava decidires o dia de regressar e já estava...

Ias jantar a meio da semana connosco, quando o teu filho se ia deitar tu ias logo embora, depois de eu me impor e acabarmos numa grande discussão começaste a ficar mais um pouco (talvez 3 vezes), mas era como se fossemos 2 amigos a ver tv... era só mensagens de dia... bom dia... bom almoço... há noite nada porquê? porque estavas no café com os teus amigos? E ao fds onde estavas? Com os amigos no café ou a ajudar a fazer qualquer coisa... os amigos... esses é que importavam.

Fizemos 2 passeios para fora, com o nosso filho claro... para ti não era necessário falar, só dizias passado é passado... até a tua mãe estava sempre a dizer que ficava com o neto para podermos estar sozinhos para conversar que era necessário.... mas para ti não, acho que tinhas medo de ouvir aquilo que eu sentia e senti...

 

Mas eu dei-te uma grande prova, como ex era obrigada a ir depor e fui, fiz o melhor depoimento que podia fazer... mas tu apenas disseste não fui dizer nenhuma mentira... pois não mas bastava recusar-me a responder às perguntas sobre o nosso casamento que eles iriam ficar com a dúvida e estarias lixado... nem um obrigado, nem um jantar, nada... mas se calhar aos teus amigos deste tudo...

O cabo da GNR só me disse se eu tinha consciência que aquele depoimento iria ajudá-lo... claro que sabia... ele disse que normalmente as ex vão a confirmar que eram vitimas de violência... mas eu só disse a verdade, em 14 anos nunca me tocou num fio de cabelo, por isso não acreditava no que ela apresentou na queixa, era muito grave, não era ele... mas sempre dizendo que agora não podia afirmar mas que não acredito que uma pessoa iria agora mudar, quem é violento é sempre.

 

Só sei que hoje temos uma melhor relação... talvez porque já não esperamos nada de nós... talvez porque ambos sabemos que a nossa história acabou, se há algum sentimento? Talvez... mas isso não chega. Se daqui a 10, 20, 30 anos poderá acontecer algo... hoje já não digo nunca, porque há uns meses atrás me enganei...

Neste momento só quero apenas estar sozinha comigo mesma (isto é com o meu puto :)), aprender a ser uma nova pessoa, a aprender a viver, e fazer de tudo para ser um pouco mais feliz todos os dias.

 

Eu com bons modos nestes últimos dias lá te fui pedindo para me avisares se eras tu ou a tia a ir buscar o menino à escola e onde ficava para depois ir buscá-lo... nem deveria ser preciso pedir mas sei como os homens são... esquecidos e nem ligam a detalhes :) e ontem fiquei contente contigo, não estavas cá e ligaste a avisar que não podias ir e se queria que ligasses à cunhada, eu disse que não era preciso que disso tratava eu . Pelo menos acho que apesar de tudo estamos a ser bons pais, um dia o nosso filho vai agradecer-nos e vamos ser sempre uns pais babados... :)

 

Obrigada por me teres dado o melhor filho do mundo, sim foste um grande homem que nunca te negaste a fazer um exame nem nenhum tratamento, há muitos machistas que se recusam porque o problema é sempre da mulher nunca deles, foste um homem à altura do desafio <3

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D